COMO-ESCREVER-UM-ARTIGO-JURIDICO-FERNANDA-GAIOTTO

Neste artigo, orientamos sobre como escrever um artigo jurídico, desde a pesquisa de palavras, passando pela otimização SEO, até o texto de alta conversão (copywriting).

Com o nicho escolhido, área foco do direito para a qual serão direcionadas as campanhas de marketing, é a hora de produzir conteúdo.

Antes de saber como escrever um artigo jurídico, é importante saber sobre o que escrever.

COMO SELECIONAR UMA PALAVRA-CHAVE ANTES DE ESCREVER UM ARTIGO JURÍDICO

Todo conteúdo a ser produzido, para qualquer mídia, deve ter UMA PALAVRA-CHAVE.

Entende-se por palavra-chave não apenas uma palavra, mas um termo, que pode ser composto por várias palavras. Por exemplo: “usucapião para regularizar imóvel”.

De preferência, essa palavras-chave deve ter uma quantidade de buscas considerável na internet.

Pense. Dentro do nicho do direito em que vamos trabalhar, qual é a maior NECESSIDADE das pessoas?

Esse é o ponto de partida.

Quando tiver dificuldade em responder a essa pergunta, sempre retorne às origens da marca. Certamente, se ela já atua no mundo real há algum tempo, ela se consolidou resolvendo certas necessidades. É provável, que ao resolver problemas ou necessidades houve uma VOCAÇÃO, uma maior ocorrência de certos assuntos ou um PERFIL DE PÚBLICO ALVO.

Partindo, então, da experiência empírica, podemos recorrer à tecnologia, aos ROBÔS, para nos ajudar a saber QUAIS PALAVRAS AS PESSOAS UTILIZAM PARA BUSCAR SOLUÇÕES PARA SEUS PROBLEMAS OU NECESSIDADES.

Nem sempre quem tem experiência com as soluções ofertados, como os advogados, possui uma ideia clara sobre COMO AS PESSOAS buscam essas soluções. É preciso EMPATIA e PESQUISA para se colocar no lugar do público e entender sua jornada de busca.

Vamos a um exemplo prático, utilizando uma ferramenta que gostamos muito, o UBBERSUGGEST, aliada ao próprio navegador do Google, o Google Chrome.

Supondo, então, que o nosso nicho seja o DIREITO IMOBILIÁRIO.

Por experiência, sabemos que uma das necessidades das pessoas nesse nicho é REGULARIZAR IMOVÉIS.

A primeira coisa a se fazer, é abrir o Google Chrome e digitar REGULARIZAR IMÓVEL, sem dar ENTER. Enquanto, ainda digito, o próprio navegador vai nos indicar outros termos ou perguntas análogas que o usuário utiliza. Veja:

 

COMO-ESCREVER-UM-ARTIGO-JURIDICO-FERNANDA-GAIOTTO

 

Todos esses termos são potenciais palavras-chave para artigos jurídicos SEO.

Depois, eu posso abrir a ferramenta https://app.neilpatel.com/ e pesquisar a quantidade de busca para cada um dos termos.

Há outras coisas que podemos analisar com essa ferramenta, como a concorrência e nível de dificuldade SEO, porém, neste material vamos nos focar na relevância e volume de busca do termo.

 

COMO-ESCREVER-UM-ARTIGO-JURIDICO-FERNANDA-GAIOTTO

 

Vemos ali em “SEARCH VOLUME” que há 320 buscas mensais só para esse termo (palavra-chave).

Porém, se você descer na barra de rolagem, verá que a ferramenta disponibiliza, por sua vez, termos relacionados e mais parecidos com a palavra-chave pesquisada. É o caso de “regularização de imóvel”, com 2400 buscas.

Outro ponto importante que devemos pensar, porém, é se esses termos são mais prováveis de estarem sendo pesquisados por um colega advogado ou por quem de fato tem a NECESSIDADE de regularizar um imóvel.

É sempre interessante priorizar os termos que são mais prováveis de serem buscados pelo público-alvo. Apesar de que isso pode ser relativo.

Agora, você pode fazer essa busca na ferramenta com cada uma das palavras-chave sugeridas pelo Google (imagem 1) e escolher a palavra-chave que você entende que te trará mais resultados, de acordo com a sua vocação em poder cobrir uma necessidade em informação e serviços.

COMO ESCREVER UM ARTIGO JURÍDICO DE ALTA CONVERSÃO: MÉTODO PASTOR

Para escrever artigos jurídicos de leitura agradável ao público “leigo” E DE ALTA CONVERSÃO, ou seja, possibilidade de conversão em lead, utilizamos o método PASTOR, que é um acrônimo.

PROBLEMA: nomear e descrever o problema do seu potencial cliente.

AMPLIFICAÇÃO SO PROBLEMA: dizer porque não resolver esse problema é particularmente prejudicial.

SOLUÇÃO: Descreva como resolver o problema e possíveis teses para isso. Dê exemplos.

TRANSFORAÇÃO: Descreva a transformação que a solução vai causar na vida do cliente, porque, no fundo, é isso que ele compra.

OFERTA: Descreva a sua oferta específica de serviços. Se não puder fazer isso, diga como você resolveu isso para outro cliente.

RESPOSTA: Descreva exatamente o que o possível cliente deve fazer para “comprar” ou ter acesso ao seu serviço, chamada de ação.

Escrito por Fernanda Gaiotto Machado, com Conteúdo Estratégico.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *